Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘contos. ana corda’

Episódio 3

Era bicho, não era gente. Bicho parecido com um Pokémon. “Temos que pegar, temos que pegar…” E as gentes pensavam que tinham mesmo que pegar. Armados e em helicópteros barulhentos, as gentes só queriam isso.

Bicho meio Pokémon, meio onça. Bicho que corria para se salvar das gentes. Bicho que era Ana. Ana que era bicho. Que saía pela floresta em busca de esconderijo, pois não sabia se defender, só correr, só se esconder. Atrás dos outros bichos, fugia do barulho das hélices e das pólvoras que se instauravam nos miolos alheios. Corria, corria, corria. Achou o buraco de uma árvore e ali ficou. O bicho dormiu. O bicho acordou, gente! O bicho acordou gente. Como num passe de mágica. Ninguém sabe, ninguém viu. Precisava sair dali e buscar a liberdade.

Com a ajuda dos macacos que se camuflavam nos troncos das árvores imperiais da floresta, bicho que virou gente, que sempre foi Ana, subiu rapidamente em uma dessas árvores e resolveu deitar em suas folhas longas e verdes. Por enquanto, como o dia ainda nem tinha raiado e as gentes ainda não levantavam de profundos sonos, Ana, surpresa e feliz por ter virado gente, mas gente boa, começou a assoviar uma tranquilizante melodia, encarnando uma das princesas dos desenhos animados da Disney.

Formigas, que habitavam aquela mesma folha em que Ana deitou-se, despertaram. Algumas formaram uma generosa platéia para ouvir o som afinado da voz de Ana. Outras muniram-se de mini-instrumentos musicais e foram orquestradas pelas leves mãos da pequena gente.

________________________________

E, ainda faltando cerca de dez minutos para a irritante música do despertador tocar, e sem ninguém precisar chamá-la e gritar seu nome, com um meio sorriso no rosto, Anacordou bem e de bem.

Anúncios

Read Full Post »