Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘natureza’

Na minha opinião, sempre as melhores propagandas são da WWF, pelo menos no setor em que ela atende.

E fica uma dica: 1º Concurso de Foto e Vídeo Olhares sobre a Água e o Clima, promovido pelo WWF-Brasil, Agência Nacional de Águas (ANA) e o grupo HSBC.  Vale uma viagem para Bonito (MS)! Ao olhar o site, vi que as fotos estão praticamente iguais. Muitas flores, cachoeiras, praias. Belezas naturais já não são óbvias demais? Seria melhor retratar algo que defina melhor o contexto atual da degradação do meio ambiente. Concordam?  Quem se interessar acesse o site do concurso.

Read Full Post »

Campanha realizada pela WWF e seguida por este blog.
Ganhei a dica e roubei do site.

Faça a sua parte! Mas se você quiser dormir também, não tem problema. Dormir faz bem. (Aviso aos navegantes da madrugada que gostam da letra “z”). :)

“Desabafos” por um mundo melhor! rs

Read Full Post »

Disse o piloto em sua fala irreverente de boas vindas ao vôo da Trip. E assim começou mais uma viagem.

Confesso que estava com medo de voar numa aeronave menor, mas depois do post de uma também capixaba que me mandaram, tudo ficou mais tranqüilo. Aliás, o serviço de bordo dá de mil a zero nas outras companhias. Uma estrelinha pra Trip! :)

voo

sky

Chegamos, eu e uma amiga, a antiga terra do cacau e de Jorge Amado (tudo lá é Gabriela: a rádio, a farmácia, a padaria, a rua, o aeroporto, o bar, etc), para irmos mais pro interior, em Itabuna, onde vive parte da família baiana. Foram quatro dias de baralho; casa da vovó; primaiada junta; “Mulher Invisível” – que me decepcionou; outros filmes ruins; menina de cinco anos atentada (bixo, minha prima cansa mais que fazer triatlo. Tudo bem que eu nunca fiz neh… hauihuaha.. mas foi a primeira coisa que pensei), festa de criança regada de doces com direito a “vamos brincar de índio..” e bonecos enormes da turma da Mônica; e muitas, mas muitas horas de “por**, não tem nada pra fazer!”.

Mas enfim chegou o dia de pegar o busão que para 3947209 vezes na estrada e irmos pra Itacaré, mais uma vez. De novo, de novo e de novo, porque o lugar é lindo, tranquilo e cheio de gente legaaaal. rs

“Andeeei só pela noite… cantei um reggae com os cachorros da rua”. Hahahaha Natiruts mandou bem quando fez essa música! Haiuiuaiuha Total cara da cidade, aonde os cachorros dominam! Aliás, os gringos, os rastas e os cachorros, super mansos.

Em uma pousada baratinha (mais) e cheia de graça na rua principal (rua da Pituba – ou Pedro Longo) ficamos por mais quatro dias, na nossa queridíssima Itacaré, que com seu tempo de nuvens e sol, continuava deslumbrante. Pra quem curte a natureza, boas ondas, um forrozinho e calmaria, IT’S THE PLACE. Heuheueh.. brega!

Saindo da rua da Pituba, anda-se uns 7 minutos até chegar a primeira praia (bonita) da cidade: a praia de Resende. Passa-se por um mínimo caminho de pedras e chega-se a Tiririca. Mais pedras e logo se chega a praia da Costa. Lógico que podemos fazer o outro caminho, das ladeiras de paralelepípedo, mas desbravar as rochas é bem mais interessante (uhul!). E depois dessa, que não é a de Vila Velha, anda-se um tiquinho de nada e chega-se a Ribeira.

Bem, das quatro praias, pra mim, Resende é pra dormir; Tiririca pra ver as pranchas; Costa pra passar direto; e Ribeira pra sentar com a família e comer, já que é a praia com melhor estrutura. As outras têm uma barraquinha aqui e ali e vários vendedores ambulantes. É queijo, tatuagem, colar, brinco, tapioca, amendoim, etc.

Resende

Resende

Ribeira

Ribeira

Depois de comer com a família na Ribeira (fiz isso quando fui lá pela primeira vez, aos meus 12 anos), vê-se uma trilha de cerca de 40 minutos. Trilha fácil e que não precisa de guia e nem de tênis! Se eu to falando que é fácil, confiem, gente! Sou “o OH” pra fazer trilhas. Hiauhiauhaiha Mas prestem atenção, futuros turistas: formem um grupo grande para fazer qualquer trilha! Segundo informações de nativos, tem ocorrido muitos assaltos aos desavisados.

Após a trilhazinha, senta e admira a Prainha! Minha praia preferida de Itacaré! Ah! Já ia me esquecendo! Só dessa vez que fui descobrir um caminho alternativo para a Prainha: de carro por dentro de uma fazenda. Porém, só as agências de turismo, eu e minha amiga, temos acesso. rs

Prainha

Prainha

Tem muito mais praia pra conhecer, mas essas ficam fora da cidade. Se você não estiver de carro, tem que pegar carona na estrada ou contratar agência mesmo. Dessa vez, não fui a nenhum desses lugares: Jeribucaçu, Hawaizinho, Itacarezinho, Engenhoca, etc. Mas também vale a pena dar uma conferida. As com nome em diminutivo são praias maiores, tanto em metros, quanto em estrutura. As outras têm os ambulantes e tal.

Além disso, tem cachoeiras ótimas e também a Península de Maraú, que é ali pertinho. Só pegar a balsa, o carro 4×4 e pronto!

Bem, chega de dicas de turismo! Entre tantas praias, pessoas divertidas de vários estados e países, música gospel que virou pagode (mais), encontros com gente de Vitória (tinha que ter, neh!!), dias de sossego da internet e muuuita coisa boa, tive que voltar as origens e retomar meus afazeres aiesecos e publicitários.

ps: faltou crasear muitos “as”! heuheuhe

Read Full Post »