Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘voz’

Vozes que me acalmam #2

Cresci com a MPB. Ouvia nas estradas e nas rotinas da casa, das comemorações, das conversas em família. Devo aos meus pais o meu gosto musical (e não só). Eles me iniciaram com Chico Buarque, Milton Nascimento, Maria Betânia, Família Caymmi, Nara Leão, Elis Regina e tantos outros. Confesso que até uma certa idade, achava tudo muito chato, mas os tinha como base da música e todos estavam permanentemente em minha mente e ouvidos. Tanto estavam, que minha canção preferida aos 10 anos, afiada na ponta da língua, era “João e Maria”: “Agora eu era herói, e meu cavalo só falava inglês…”

E tanto já gostava, que hoje a maioria das músicas que ouço é brasileira. Coincidência ou não, meus cantores prediletos são alguns dos descritos acima, sem contar, é claro, com a “nova geração”.

O tema deste post é exatamente sobre uma das vozes da “modernidade” verde-amarela: Marisa Monte. A única coisa que posso reclamar da cantora é o fato de ela não fazer muitos shows, ainda mais em nossa pacata cidade. Mas em 2007, foi inesquecível a apresentação de Marisa no palco capixaba. Simplesmente, deslumbrante! E impressionante como eu realmente consigo me sentir em paz quando a ouço. Não é só a leveza e meiguice da voz, como também seu repertório suuuuper romântico que já marcou diversos momentos dos meus anos vividos.

“E eu que pensava que não ia me apaixonar/Nunca mais na vida”

“Give me love/Give me peace on earth/Give me light/Give me life/Keep me free from birth/Give me hope/
Help me cope, with this heavy load/Trying to, touch and reach you with, heart and soul”

“O mundo é portátil/Pra quem não tem nada a esconder/Olha minha cara/É só mistério, não tem segredo”

Como não poderia deixar de ter, minha preferida: “Sem botão, no tempo, no topo, no chão/em cada escada, a caminhada, (a pé) de caminhão/Seu horário nunca é cedo aonde estou/e quando escondo a minha olheira (é pra) colher amor/Sala sem ela tem janela inclina, em cerca de atenção/Ela vem, e ninguém mais/Ela vem em minha direção”

Anúncios

Read Full Post »

Não neste caso. No dia 15 de Abril de 2009, entra no palco do programa britânico, “Britain’s got talent”, do jurado cínico Simon Cowell , de” American Idol”, uma senhora de 47 anos, com aparência nem um pouco atraente, uma voz fina, falas engraçadas e um jeito único. Mas, mesmo antes que a canção escolhida (“I dreamed a dream” do musical “Os miseráveis”) fosse ouvida, Susan Boyle, uma mera voluntária de sua Igreja, foi julgada erroneamente, tanto pelos jurados, quanto pelo público que fez caras e bocas com as respostas e o jeito inusitado de Susan.

Contudo, foi na primeira frase da música que todos perceberam que a tinham julgado mal. A voz agradável, super afinada e pura da senhora, fez com que todos se impressionassem. A platéia britânica aplaudiu de pé. Muitos se emocionaram, assim como eu. E no final da melhor apresentação em três anos de existência do programa, os jurados pediram desculpas por terem desacreditado daquela mulher fofíssima de cabelos brancos, e deram o aval para que ela continuasse a mostrar sua bela voz.

Agora, a mais nova sensação do YouTube, que diz nunca ter sido beijada na boca, já tem milhões de candidatos para ganhar o seu primeiro beijo. Além de, sem sombra de dúvidas, ter sua carreira tão sonhada como cantora, com uma chance de participação especial no programa “American Idol”.

Veja o vídeo completo AQUI!

Read Full Post »