Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘vozes’ Category

Vozes que me acalmam #2

Cresci com a MPB. Ouvia nas estradas e nas rotinas da casa, das comemorações, das conversas em família. Devo aos meus pais o meu gosto musical (e não só). Eles me iniciaram com Chico Buarque, Milton Nascimento, Maria Betânia, Família Caymmi, Nara Leão, Elis Regina e tantos outros. Confesso que até uma certa idade, achava tudo muito chato, mas os tinha como base da música e todos estavam permanentemente em minha mente e ouvidos. Tanto estavam, que minha canção preferida aos 10 anos, afiada na ponta da língua, era “João e Maria”: “Agora eu era herói, e meu cavalo só falava inglês…”

E tanto já gostava, que hoje a maioria das músicas que ouço é brasileira. Coincidência ou não, meus cantores prediletos são alguns dos descritos acima, sem contar, é claro, com a “nova geração”.

O tema deste post é exatamente sobre uma das vozes da “modernidade” verde-amarela: Marisa Monte. A única coisa que posso reclamar da cantora é o fato de ela não fazer muitos shows, ainda mais em nossa pacata cidade. Mas em 2007, foi inesquecível a apresentação de Marisa no palco capixaba. Simplesmente, deslumbrante! E impressionante como eu realmente consigo me sentir em paz quando a ouço. Não é só a leveza e meiguice da voz, como também seu repertório suuuuper romântico que já marcou diversos momentos dos meus anos vividos.

“E eu que pensava que não ia me apaixonar/Nunca mais na vida”

“Give me love/Give me peace on earth/Give me light/Give me life/Keep me free from birth/Give me hope/
Help me cope, with this heavy load/Trying to, touch and reach you with, heart and soul”

“O mundo é portátil/Pra quem não tem nada a esconder/Olha minha cara/É só mistério, não tem segredo”

Como não poderia deixar de ter, minha preferida: “Sem botão, no tempo, no topo, no chão/em cada escada, a caminhada, (a pé) de caminhão/Seu horário nunca é cedo aonde estou/e quando escondo a minha olheira (é pra) colher amor/Sala sem ela tem janela inclina, em cerca de atenção/Ela vem, e ninguém mais/Ela vem em minha direção”

Anúncios

Read Full Post »

Noteworthy

Que coreografia! hahhahaha

Que vozes! (aqui, é verdade)

Dei pra rir agora desses caras que participaram do “9th Annual West Coast A Cappella Showcase”. Pelo que eu entendi, existem vários grupos na universidade formados por mulheres e homens. Alguns são mais irreverentes e engraçados (como os exemplos abaixo), e outros, mais ponderados. Para saber mais sobre os cantores, clique AQUI!

Read Full Post »

bom sujeito não é.

E hoje, para representar bem o samba aqui em Vitória, fomos presenteados com um show de uma das vozes que me acalmam: Roberta Sá, a qual já falei há uns dias.

A cantora abrirá a temporada de shows da Estação Porto, no Centro da cidade, às 20h. Terá como companhia de palco, a capixaba Tamy.

Se gostar do babado..rs.. bora lá! :)

Read Full Post »

Essa é uma nova sessão do Desabafos. “Vozes que me acalmam” traz já no nome, a explicação. Mas são vozes não só que me acalmam, mas que eu admiro a graça e harmonia em palco e composição (de letras, de luzes, de sons).

A homenageada de hoje foi-me apresentada pelo meu irmão-carioca-de-coração há uns dois anos. Roberta Sá.

Roberta sabe cantar, interpretar e transmitir toda a sua doçura em todas as canções, que são compostas também por ela (mas não só). São melodias bem arranjadas, composições bem selecionadas. São sambinhas gostosos, romances encantadores, que começaram a atingir o coração dos cariocas e hoje, atingem os de todo o Brasil.

A maioria das músicas é de Pedro Luís. Algumas, com a ajuda da cantora. Outras, são regravações de Chico Buarque, Marcelo Camelo, Dorival Caymmi, Paulinho da Viola, etc. Um time de peso para uma voz também de peso, totalmente brasileira.

Agora, com vocês, minhas partes preferidas de ótimas canções interpretadas por Roberta Sá:

“E se a dor é de saudade; E a saudade é de matar;
Em meu peito a novidade; Vai enfim me libertar”

“Já passaram dias inteiros; Janeiros; Calendário que nunca chega ao fim;
Início sim; E só recomeçar; Bordando areia; Com luz de candeia pra nunca se apagar; E iluminar”

“Mais um romance tem remédio; Vou viajar lá longe tem; O coração de mais alguém; Não deixe ideia de não ou talvez; Que talvez atrapalha ”

Read Full Post »

(2) dica musical

Acabei de descobrir uma banda inglesa com toques de Beatles e Franz Ferdinand, pelo programa Sound (ver). Chama-se The Zutons.  Boa banda, bom som, bons clipes. Ah! E além disso, a versão deles da música “Valerie’ (que aliás, é composição própria dos ingleses) dá de mil a zero na versão de Amy Winehouse.

The+Zutonsjj

The Zutons

Confiram logo abaixo algumas das minhas canções preferidas até agora:

Why won’t you give me your love?

Always right behind you

Confusion

Remember me

Read Full Post »

iei!

Pra você guardei o amor
Que aprendi vem dos meus pais
O amor que tive e recebi
E hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que arco-íris
Risca ao levitar

linda, linda!

O ruivo mais amado do Brasil  está vindo de novo pra cá… rs… dia 14 de Novembro, no MAIS! ieiiiii!

Read Full Post »

Sério?

Apesar de estar caindo de sono, ontem, vi partes do Prêmio Multishow 2009. Sério, gente, o que foi aquilo? Decepcionante. Achei muito mal organizado. Mas o pior de tudo foram os ganhadores de algumas categorias que só ganharam porque os fãs ficavam todos os dias em frente ao computador votando! Além disso, só tinha artista da MODINHA, que lançou alguma música também de modinha este ano, mas que provavelmente, ano que vem deve ser esquecido pela mídia, salvo algumas exceções, é claro.

A minha maior revolta foi na última revelação: melhor banda. Caramba!!!! Fresno? De verdade, gente? F-R-E-S-N-O? Um bando de meninos com o cabelo com franja de lado; cheio de brinco/alargador e tatuagem; com roupas pretas ou brancas cantando músicas melosas. Na verdade, quando as três bandas tocaram juntas ” a gente somos inúteeel”, o som foi até legal, mas eu não sabia identificar quem era quem. Fresno, NX Zero e Strike. Eram todos iguais!

E o que foi a Pitty e o Gilberto Gil em homenagem a Rita Lee?  Adoro a voz e as músicas do Gil (fora aqueles dreads brancos dele uoehouhoeuhouh), mas não sou fã da baiana rockeira, não. E acho que ao cantar as músicas da Rita Lee, a voz dela não ia além, se é que me entendem. Vale lembrar também, infelizmente, que a Pitty errou a letra de uma das canções que interpretou, bem no finalzinho. Aí, só sei que ficou beem estranho esses dois cantando juntos.

Vou parar de criticar um pouquinho. Acho que já deu. Mas isso foi pra demonstrar a minha revolta com o que vi ontem, ou melhor, de poucas partes do Prêmio. Aos fãs de algumas das bandas e cantores citados, só tenho uma coisa a dizer: meus pêsames. HUEHUHEIUHEIHU. Tô brincando.. Gosto é gosto.

Read Full Post »

Older Posts »